quarta-feira, 31 de agosto de 2011


"Já que colocam fotos de gente morta nos maços de cigarros, por que não colocar também:

-
de gente obesa em pacotes de batata frita;
-
de matadouros em bandejas de carne;
- de animais torturados nos cosméticos;
-
de acidentes de trânsito nas garrafas e latas de bebidas alcoólicas;
-
de gente sem teto nas contas de água e luz
e ........ de políticos corruptos nas guias de recolhimento de impostos?"

domingo, 28 de agosto de 2011

FRASE TRISTE DA SEMANA

“Que país é este que junta milhões numa marcha gay, outros milhões numa marcha evangélica, muitas centenas numa marcha a favor da maconha, mas que não se mobiliza contra a corrupção?”

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

O TÚNEL DO TEMPO - SÉRIE DE TV DOS ANOS 70


Quem era adolescente nos anos 70/80 deve se lembrar de "O Túnel do Tempo", um dos melhores seriados americanos que a Tv brasileira apresentava, nos tempos em que a programação era bem mais inteligente e divertida e bem menos apelativa do que a atual. Mas os adolescentes atuais e os adultos saudosistas de hoje também poderiam se deliciar com a série, que foi reprisada em alguns canais da tv a cabo de estilo "retrô".

"The Time Tunnel" foi idealizado pelo criativo Irwin Allen, o mesmo que produziu "Viagem ao Fundo do Mar", "Perdidos no Espaço" e "Terra de Gigantes" entre outros, que fizeram imenso sucesso no mundo inteiro e aqui no Brasil com a garotada dos anos 70. Foi produzida no final da década de 60, nas temporadas de 1967 e 1968.
O seriado baseava-se nas aventuras dos dois cientistas Douglas Phillips e Antony Newman (
respectivamente Robert Colbert e James Darren) nas suas viagens através do tempo, principalmente pelo passado, conhecendo personagens da História Mundial como Mussolini, Napoleão Bonaparte, Helena de Tróia, Abraham Lincoln e até mesmo O Fantasma de Nero, Billy The Kid e Robin Hood. Navegaram pelo Titanic, embarcaram num foguete à Lua e quase morreram juntos com a Ilha de Krakatoa no maior desastre vulcânico de todos os tempos. Lembrando disso, o seriado até ensinava aos telespectadores cultura histórica devido às situações de risco e personagens com quem se confrontavam.


Mas os dois sempre saíam ilesos das dificuldades, graças às suas inteligências acima do normal e de suas habilidades em vários estilos de lutas marciais, nos quais eram peritos.

A equipe do Túnel do Tempo, que se localizava num laboratório no subsolo do deserto do Arizona, EUA, monitorava os rapazes na ânsia de trazê-los de volta, mas sempre falhavam, embora na maioria das vezes conseguiam transferi-los para outra época salvando-os de uma situação perigosa. A desculpa das falhas era sempre que "o túnel ainda não tinha sido aperfeiçoado..." sim, pois Tony fora o primeiro a se mandar antes mesmo dos testes definitivos, e se arriscar, para evitar o ameaçado corte de verba do governo, mostrando a um senador americano a importância do projeto. Doug foi atrás para tentar resgatá-lo pois Tony embarcara literalmente na maior canoa furada: o Titanic!! A solidariedade sempre foi uma das virtudes dos dois cientistas, pois por onde quer que passassem e vissem alguém ou um grupo em dificuldades, sempre tentavam ajudar e se ajudavam mutuamente, apesar das diferentes personalidades: Tony Newman era um jovem, impetuoso e emotivo, enquanto Doug Philips era mais maduro e extremamente racional e sagaz.
Um dos membros da equipe era a belíssima Lee Meriwether (Dra. Ann MacGregor) ex-miss EUA e que fez o papel da Mulher-Gato no filme-piloto de outro seriado dos anos 60 muito cultuado até os dias de hoje: Batman. Os únicos elos entre a equipe e os dois cientistas-aventureiros eram através de imagens pelo telão do túnel, algumas raras comunicações de voz e um ou outro equipamento ou arma que eram enviados para auxiliar os heróis. De vez em quando a equipe consultava o computador histórico em busca de informações que ajudassem a monitorar e de alguma forma tentar transferir ou localizar os rapazes. Se naquela época existisse o Google.... como as coisas teriam sido mais fáceis para a equipe do Túnel!

Há controvérsias sobre o fim do seriado, produção dispendiosa ou insatisfação dos envolvidos no projeto. Foram produzidos apenas 30 episódios, e infelizmente não houve um que marcasse o final triunfal da série com o retorno dos dois cientistas.

Nessa época os americanos pareciam ávidos em querer mostrar ao mundo, mesmo em filmes e séries de ficção, o seu domínio pelas pesquisas científicas e a conquista do espaço, tendo em vista que produziam seriados, não só como o Túnel do Tempo, no qual num dos episódios Tony e Doug se viam numa expedição num foguete à Marte, mas também "Perdidos no Espaço" e o lendário filme "2001: Uma Odisséia no Espaço" de Stanley Kubrick, de 1968.
Isso veio a se concretizar na vida real através da Missão Apollo 11, a quinta tripulada do Programa Apollo e primeira a pousar na Lua, em 20 de Julho de 1969, tripulada pelos astronautas americanos Neil Armstrong, Edwin Aldrin e Michael Collins.

Mas, em algum lugar do tempo e da Tv, Doug e Tony devem estar em mais uma aventura fantástica para aprendermos com a dupla um pouco de história....


Enquando os doutores Tony Newman e Doug Philips não voltam ao nosso tempo, baixe nesse link todos os episódios da série:

http://www.degratisdownload.net/2009/08/tunel-do-tempo-serie-download-1966-1967.html


CURIOSIDADES SOBRE A SÉRIE:

1) Uma das perguntas mais feitas pela dupla era "Onde estamos?" sempre no início de cada episódio. Como Tony e Doug eram cientistas com alto nível de cultura e sagacidade, logo descobriam.

2) Raras vezes os rapazes mencionavam a volta pra casa. Num episódio onde descobriam um projeto de um túnel do tempo soviético em 1956, veem uma barra luminosa vinda do túnel deles, e Doug menciona o fato de voltar.

3) No episódio "O Dia em que o Céu Desabou", Tony Newman se encontra com ele mesmo (criança) e com o próprio pai que era militar na época da Segunda Guerra Mundial. O episódio enfoca o ataque japonês a Pearl Harbor no ano de 1941.

4) Em "O Fim do Mundo" quando os rapazes são transferidos no final, o Túnel falha novamente e são separados. Tony vai parar no deserto do Arizona, logo acima do laboratório do Túnel do Tempo... em 1958, 10 anos antes do projeto! Abordado por seguranças, que acham que Tony está louco, Doug, que já trabalhava no projeto, aproxima-se de carro, mas como eles ainda não se conhecem ignora a presença de Tony e manda que a segurança o leve à cidade. Desesperado, Tony implora a Doug que o ajude.

5) Tony consegue voltar para casa quando é transferido da Ilha de Krakatoa. Mas só por pouquíssimos segundos. Prestes a ser jogado na lava, é transferido no exato momento e se salva. Chega e vê todos os membros da equipe do Túnel do Tempo congelados no tempo. Mas é o suficiente para escrever um bilhete ao Dr.Raymond Swain (John Zaremba) e levar informações dos arredores de Krakatoa e transfere-se para o mesmo lugar e tempo, a fim de salvar Doug.

6) A única vez em que encontram de verdade em tempo e lugar com alguém da equipe é no episódio "Os Raptores", vivenciado no ano de 8433 no futuro. É a Dra. Ann, que ao se despedir de volta para o Túnel, dá um beijo em cada um dos rapazes.

7) Falando em beijo, apesar de conhecerem algumas mulheres em suas incursões no tempo, Tony e Doug quase nunca tiveram a oportunidade de se envolverem emocionalmente com alguma delas. O que havia era um beijo eventual, e geralmente o contemplado era Tony. Mas, no episódio "Marco Polo", Tony e a Princesa Sarite se apaixonam, e ele pensa em permanecer na época sem voltar ao Túnel para ficar com a princesa e chega a se desentender com Doug, pois este acha isso um absurdo e tenta convencê-lo do contrário. Depois, como se espera de dois bons amigos, Tony acaba caindo na real e se desculpa com Doug.


PERGUNTAS QUE NÃO QUEREM CALAR, OU SEM RESPOSTAS PLAUSÍVEIS:

1) Tony e Doug nunca sentiam fome ou sono?


2) Os dois cientistas-aventureiros nunca tinham a oportunidade de tomar banho ou trocar de roupa?

3) Se mais de uma vez a equipe do Túnel conseguiu transferir um guarda da segurança e logo depois trazê-lo, bem como um índio (no episódio "Massacre") e outros, por que não faziam o mesmo com Tony e Doug?

4) Os principais membros da equipe do Túnel do Tempo, General Kirk, Dr.Raymond e Dra. Ann nunca descansavam? Será que eles ficavam 24 horas por dia monitorando as viagens de Tony e Doug?

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

18 de Agosto - Dia Mundial da Fotografia

Hoje é o Dia Mundial da Fotografia. Aproveitando a data, posto uma foto bem carioca que bati de um dos cartões postais do meu lindo Rio de Janeiro: o Pão de Açúcar.
Detalhe: foi tirada do alto de um prédio no bairro do Flamengo com uma das primeiras máquinas fotográficas digitais.
Um abraço a todos os amantes da fotografia!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Mendonça - Nem todo craque nasce para ser campeão


Nas grandes injustiças do futebol por todos esses anos, desde que o paulista Charles Miller introduziu o esporte em nossas terras, consta o fato de verdadeiros pernas-de-pau terem se sagrado campeões mundiais pela Seleção Brasileira. Mas, em contrapartida, existe a injustiça contrária de craques consagradíssimos que jamais tiveram o triunfo de ter ajudado a erguer sequer uma taça de campeão estadual.
É o caso de Milton da Cunha Mendonça, mais conhecido como Mendonça, meio-de-campo de estilo clássico que encantou os gramados brasileiros nas décadas de 70/80 envergando a camisa do Botafogo de Futebol e Regatas.


Mendonça era o craque certo nas décadas erradas para o alvinegro carioca. Ele era a verdadeira estrela solitária de um clube que vivia seu mais longo jejum de títulos, que foi de 1969 a 1987, pois de 1975 a 1982, como profissional, ele defendeu com seus pés e seu coração o Glorioso, que nessa época não tinha do que se vangloriar pois só dava o Flamengo de Zico, Júnior e cia.
Mendonça tinha um pouco de Heleno de Freitas, não pela rebeldia, pois era tímido, fechado e disciplinado, mas pela classe e perfeição com que executava todos os fundamentos do futebol no clube de coração onde jamais foi campeão, assim como Heleno. Mendonça causava pânico aos adversários na hora de cobrar uma falta... lembro perfeitamente como eu me sentia nessa hora quando estava na torcida do Flamengo, rezando para ele errar... mas na maioria das vezes as minhas orações não eram atendidas. Mendonça cabeceava e lançava com perfeição, chutava com confiança e exímia pontaria, e apesar de ter sido um mestre do drible, só o fazia - e muito bem - na hora exata. Foi jogando um futebol desta categoria que Mendonça chegou aos 118 gols em 342 partidas pelo Botafogo, sagrando-se o 14º maior artilheiro do clube em toda sua história. Enquanto as torcidas rubro-negra, tricolor e cruzmaltina humilhavam os alvinegros nas arquibancadas do Maracanã cantando "É todo dia, é todo ano, botafoguense vai virar corintiano" - pois o Timão também amargou mais de 20 anos sem título - Mendonça respondia nos campos com seus gols e futebol magistral, inconformando-se desta forma com a afronta à sua torcida.


video

Em 1981 o título chegou perto quando o Botafogo esteve nas finais do Campeonato Brasileiro. O Fogão havia eliminado o timaço do Flamengo (que fora campeão mundial nesse ano) ganhando de 3 a 1, muito graças a Mendonça, que fizera dois gols - um deles, o mais marcante em sua carreira, após um drible que deixou sem pai nem mãe logo quem? Júnior, titular absoluto da lateral-esquerda da Seleção Brasileira - e dando o passe para Jérson (com J mesmo) fazer o dele.
Mas o sonho acabou quando o Botafogo enfrentou o São Paulo no Morumbi. O tricolor paulista ganhou de virada com o placar de 3 x 2 e tirou o Fogão do Campeonato, mas o campeão acabou sendo o Grêmio portoalegrense.
A torcida tinha uma relação de amor e ódio com Mendonça... amor, pois ele era jogador e torcedor declarado do Fogão, e ódio, pelo fato da responsabilidade do fracasso de títulos sempre cair injustamente nas costas da estrela solitária da companhia, que sempre lutou como um guerreiro, muitas vezes sozinho, para reverter as situações desfavoráveis dentro das quatro linhas.
Desgastado e desgostoso no alvinegro, Mendonça saiu em 1983 contratado pela Portuguesa de Desportos. Mas, nos clubes seguintes, como Palmeiras, Santos, Al Saad (Catar), Grêmio (RS), Internacional de Limeira (SP), São Bento (SP) e Bangu, onde encerrou a carreira em 1990, o craque também não sentiu o prazer de ganhar um título sequer.
Talvez, no ano anterior à sua aposentadoria, quando contava com 33 anos de idade, Mendonça poderia ter sido o maestro alvinegro no ano em que o clube quebrou o jejum de 21 anos sem título. Certamente o craque teria preferido unicamente ser campeão de 1989 pelo Botafogo, ajudando seu clube de coração a levantar o lendário título. Teria valido por todos que ele não conseguiu vencer em toda sua carreira. Ainda assim, Mendonça já está na história do Botafogo Futebol e Regatas como um ídolo inesquecível.
Além da falta de títulos, inexplicavelmente seu nome também não foi lembrado pelos técnicos das seleções brasileiras na época em que ele estava no auge de sua forma física e técnica, e essa é outra injustiça imperdoável feita ao grande meia-armador. Imaginem como teria sido fantástico vê-lo dividir o campo no mesmo time em que jogassem craques contemporâneos do quilate de Sócrates, Zico e Falcão.
Em fevereiro de 2008, uma homenagem a Mendonça foi feita ao imortalizar seus pés na "Calçada da Fama" do Maracanã. Em agosto do mesmo ano o Botafogo lançou uma camisa retrô, também em sua homenagem. Pode ter servido para amenizar um pouco a falta de títulos de uma carreira brilhante no futebol brasileiro.



segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Josy Marques

Curtam uma das mais lindas vozes gospel da atualidade no videorelease da cantora e missionária Josy Marques, gravado no studio Rick Luna em Campo Grande, Rio de Janeiro.
A letra diz que o céu é lindo... pela interpretação magnífica de Jose, podemos nos sentir literalmente nas nuvens..!

video

Álbum: Para voltar a Viver
Musica: O Céu é Lindo
Direção e Produção: Elisangela de Barros / Estilo Marketing e Assessoria