sexta-feira, 27 de abril de 2012

JORNALISTA É AGREDIDA COVARDEMENTE POR VEREADOR


A jornalista Márcia Pache, da cidade de Pontes e Lacerda, município brasileiro do Estado de Mato Grosso, sofreu uma agressão covarde e insana ao tentar fazer seu trabalho com seriedade e profissionalismo, numa tentativa de entrevistar o então vereador Lourivaldo Rodrigues de Morais, vulgo "Kirrarinha", do partido DEMOCRATAS, acusado de corrupção.
Márcia Pache não é uma repórter de programas cômicos que entrevistam celebridades e políticos e fazem chacota com os mesmos nas perguntas e atitudes. Ela trabalha numa subsidiária do SBT na cidade de Pontes e Lacerda e o vídeo prova que em momento algum Márcia provocou ou ofendeu o covarde vereador.
Numa comunicação comigo, a jornalista disse que ainda sente a dor na alma. Pedi-lhe permissão para publicar o ocorrido no meu blog apesar de não querer expô-la ainda mais, e seus filhos indiretamente estão envolvidos e me preocupo com isso. Mas o objetivo não é que tenham pena ou piedade de Márcia, mas sim mostrar ao Brasil inteiro quem é que estamos colocando para nos representar nas assembléias.
O tapa na jornalista foi sentido não só por ela, mas por todo Brasil.
Com o maior cinismo que você possa imaginar, ao ser entrevistado numa ocasião posterior o covarde respondeu: “Tapa? Eu só coloquei a mão para tirá-la da frente”. Mas o vídeo está aqui como prova do cinismo dele.
Tenho absoluta certeza de que quem ver o vídeo considerará a atitude desse corrupto vereador repugnante, nojenta e o pior (para ele): sua carreira política está acabada!
Após ver o vídeo, fiquei pensando no absurdo em que as pessoas chegaram em termos de atitude. O que há por dentro da mente de uma pessoa que exerce um cargo de representação do povo e agride sem motivo algum um profissional da mídia que está exercendo seu trabalho? O respeito pediu aposentadoria? Os valores humanos deram adeus em definitivo? Não adianta simplesmente deixar a poeira baixar e redigir uma nota de desculpas à profissional pela agressão sem nexo - o que nem aconteceu. Um murro, uma cusparada, uma bofetada são como palavras agressivas que foram proferidas: saem, não voltam e não têm conserto!
Enfim.. essa mensagem é para prestar solidariedade à jornalista matogrossense, querendo somar às muitas pessoas que devem ter tomado essa mesma atitude que tomei.
Também sou jornalista, mas me mantenho solidário à Márcia, não só como profissional, mas como ser humano também.


Obs: optei por não colocar uma foto do covardão aqui para não sujar o meu blog, mas vocês poderão identificar o sujeito numa busca através do Google.

video


video