quarta-feira, 30 de junho de 2010

GRANDE EXPECTATIVA: BRASIL X HOLANDA

A expectativa tensa que estamos vivendo pela proximidade do confronto com os holandeses é absolutamente natural. Trata-se de uma equipe forte e aplicada taticamente em todos os setores das quatro linhas, e com ótimos valores individuais. Apesar de ter tirado o primeiro lugar numa chave relativamente fácil, os holandeses impõem respeito.
Mas é bom lembrar também que o Brasil tem feito uma grande campanha e não foi nada fácil ganhar dos norte-coreanos e da Costa do Marfim, principalmente devido à violência selvagem dos marfinenses que acabou nos tirando uma peça importante que é Elano, e Kaká, suspenso por um jogo devido à má arbitragem. Essa é sem dúvida nossa maior inimiga: o Mundial 2010 carece de bons árbitros e isso prejudica as equipes mais técnicas, que é o nosso caso. Sofremos pressão constantemente porque também carregamos nas costas a grande responsabilidade de detentores de cinco títulos mundiais.
Prefiro não me guiar em jogos de Copas passadas e principalmente em estatísticas, mesmo porque no futebol a Estatística não funciona como ciência exata, mas prefiro pensar que os adversários às vezes se esquecem que o Brasil se agiganta em situações adversas - ainda bem! Os jogadores da atual seleção têm brio, respeito, e creio que estão com o pensamento único da consagração do título, e não apenas usar a Copa como vitrine para assinar novos e excelentes contratos com times endinheirados.
Sempre calamos a boca dos argentinos, nossos maiores rivais e críticos, com o nosso futebol, nada mais. Trata-se de perda de tempo ficar dando linha para a pipa deles. Que continuem mexendo com o brio das nossas "feras", e que não aprendam nunca que não se pode brincar com o futebol brasileiro. Temos cinco títulos mundiais, e eles apenas dois. Temos mais que o dobro de títulos mundiais do que a Argentina e eles não têm um décimo de moral para nos criticar.
Ainda assim, considero a Argentina o segundo melhor no ranking geral das seleções, e desde o começo dessa Copa estou torcendo para uma finalíssima conosco. Será a FINAL DO SÉCULO, e caso realmente isso aconteça, o dia 11 de julho é que será a hora da verdade para o futebol mundial.

Não percam a conta: SÓ FALTAM 3!

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Mazinho, Bebeto e Romário comemoram em 1994 o gol do baianinho no "embala-neném".

Vinte anos depois, Brasil e Holanda voltaram a se encontrar em Mundiais disputando uma vaga nas quartas-de-final da Copa dos EUA de 1994. As coisas tinham mudado bastante. Não existia mais Laranja Mecânica e não éramos campeões mundiais há 24 anos. O Brasil estava numa fase muito fértil de craques, muitos deles atuando na Europa, e a taça FIFA já piscava o olho para o Brasil, doida para se jogar nos braços de Dunga, nosso então capitão e atual técnico.
O excelente meia Frank Rijkaard jogou, mas sentiu falta de Rudd Gullit e Marco Van Basten, companheiros no Milan e na seleção holandesa, apesar da equipe contar com bons jogadores em sua renovação.
No primeiro tempo as duas equipes se estudaram, mas o Brasil atacou mais e teve ótimas chances de gol. As seleções foram para o intervalo com o placar ainda virgem.
No segundo tempo é que começou realmente a esquentar a chapa. No primeiro gol, Aldair corta um ataque de Rijkaard lançando Bebeto na esquerda, este cruza para Romário e o baixinho abre o placar. Bebeto ainda mandou uma na trave antes de fazer o seu, ganhando uma disputa no meio de campo e driblando o goleiro para mandar peixe na rede, inventando a comemoração "embala-neném" que ficou famosa: embalou uma criança invisível nos braços, feliz da vida, avisando ao mundo inteiro que seu filho acabara de nascer. A dupla dinâmica do ataque brasileiro estava mesmo endiabrada, e levou a defesa holandesa à loucura. Confesso que me emocionei ao rever esses gols.
A Seleção permitiu a reação laranja com Bergkamp e Winter empatando a partida, contudo mais emoção da boa ainda vinha. O lateral Branco entrara no lugar de Leonardo, expulso contra os EUA e cumprindo suspensão. Branco estava dado como bichado pela imprensa e parte da torcida, então sofreu uma falta do lado esquerdo da defesa batava. O próprio disparou um míssil e se emocionou com o próprio gol, como se dissesse a quem lhe criticara que "bichado é o cacete!", carimbando com violência e maestria o passaporte para as semifinais, como se destruísse as muralhas de pedra de um dique holandês.


Súmula do Jogo BRASIL 3 X 2 HOLANDA

09/07/1994

Local: Cotton Bowl (Dallas)

Árbitro: Rodrigo Badilla (Costa Rica)

Gols: 2º Tempo: Romário 6, Bebeto 16, Bergkamp 18, Winter 30 e Branco 36.

BRASIL: Taffarel; Jorginho, Aldair, Márcio Santos e Branco; Mauro Silva, Dunga, Mazinho (Raí) e Zinho; Bebeto e Romário. Técnico: Carlos Alberto Parreira

HOLANDA: De Goey; Winter, Koeman, Valckx e Wouters; Witschge, Rijkaard (Ronald de Boer) e Jonk; Overmars, Bergkamp e Van Vossen (Roy). Técnico: Dick Advocaat



Dezesseis anos se passaram e agora vamos encarar uma Holanda forte, que merece respeito e que vem fazendo uma boa campanha. Mas não é nenhuma "Laranja Mecânica" e temos amplas condições de vencê-la. Vários jogadores que começaram desacreditados já possuem auto-confiança e a confiança de todos os que acompanham essa Copa. Temos vários melhores do mundo em muitas posições e jogamos a Copa em continente neutro. Elano pode voltar e deveremos ir com força máxima.
Vamos torcer também para que as arbitragens sejam de alto nível.

Nem precisa espremer a laranja até o bagaço: 1 a 0 para o Brasil já é goleada!



NÃO PERCAM A CONTA: SÓ FALTAM 3!
ABRAÇOS!

BRASIL X CHILE - SÓ FALTAM 3 PARA O HEXA!









Ontem à noite, na véspera dessa excelente apresentação da Seleção Brasileira frente ao Chile, eu via em muitas janelas uma bandeira do nosso país pendurada. Senti como se fosse o coração de cada torcedor expondo o amor ao seu país e pensei "Será que os jogadores têm noção que essa gente humilde e esperançosa faz isso? Quanta responsabilidade para Kaká, Robinho e cia, que têm a honra de representar o Brasil...!" Gostaria que eles soubessem, mais ainda: gostaria que eles vissem como eu vi, sentissem essa energia como eu senti.
O esporte ainda pode dar muitas alegrias ao povo brasileiro, inclusive livrá-lo do desemprego e aos jovens do vício em drogas. Cria um sentimento mais patriótico, o que ajuda no desenvolvimento da nação, mas nessas horas também não deixo de pensar em como seria ótimo se não houvesse o dedo podre da política e dos dirigentes loucos por negociações no mais fantástico dos esportes... torceríamos com muito mais entusiasmo! Nada nesse mundo é perfeito.
Gostei de ver nossos jogadores subindo de produção a cada jogo, e gostei ainda mais de ver um Chile aguerrido, mas que jogou com lealdade. Esses duelos sul-americanos sempre me preocupam. Quando o Valdivia entrou, confesso que fiquei meio preocupado, mas "O Mago", como carinhosamente é chamado pela torcida do Palmeiras, não tirou nenhum truque de sua cartola. Torci muito para um 4 a 0 repetindo os números de gols que fizemos no Chile em 1962 e 1998, como postei anteriormente, mas 3 a 0 foi maravilhoso. E já temos um artilheiro: Luís Fabiano está com 3 gols e o seu contra o Chile foi um belo gol, estilo Ronaldo nos seus tempos fenomenais!


Nossa Seleção tem um bom grupo de reservas, que quando entram dão conta do recado. Ramires entrou bem demais, pena que está suspenso e não jogaria contra a Holanda, logo agora que poderia ser titular. Lúcio excelente outra vez, realmente é o melhor zagueiro-central do mundo, fazendo de nossa defesa uma solidez inexpugnável. Agora o Kaká só precisa se despreocupar em não levar cartão, pois o medo acaba atraindo o que não se quer. Ele tem que estar mais relaxado e render bem como ele sabe render para os próximos confrontos.
Mais um conhecido de Copas anteriores: a Holanda! Nosso primeiro confronto com a Holanda foi contra aquela fantástica Seleção de 1974, o Carrossel Holandês, ou a Laranja Mecânica, minha seleção preferida (fora o Brasil).
E se você quer saber como foi, acesse meu site
e veja o tópico "O CONFRONTO COM OS TRICAMPEÕES".


Recordando Brasil e Holanda em Copas, também jogamos contra eles em 1994 - para mim o jogo mais emocionante do Mundial dos EUA - e em 1998. No primeiro, vitória de 3 a 2. No segundo um empate, mas passamos por eles ganhando nos pênaltis.

Falando em próximos confrontos, como dizia o Zagallo em 1994:

" faltam 3!"

domingo, 27 de junho de 2010

ARGENTINA - TUDO A SEU FAVOR!


A Argentina tá com tudo a seu favor, inclusive a arbitragem. O gol de Tévez, que abriu o placar foi um impedimento clamoroso, erro imperdoável do juiz. Putz, não estamos mais em 1978!!!Psicologicamente, para quem abre o placar isso é ótimo, pois o adversário tende a se preocupar mais com o ataque do que com a defesa. Os mexicanos ainda lhes deram de presente o segundo gol, também de Tévez. No terceiro, todos os méritos para los hermanos.
O México tinha tudo para vencer a partida, pois começou bem com dois ataques perigosíssimos, um bateu no travessão e outro raspou a trave portenha. E durante a partida os mexicanos aproveitaram as falhas da defesa argentina - alguém sabe me dizer se eles têm lateral-direito? - e não se entregaram, não desistiram, atitudes típicas de quem tem sangue latino, e Hernandez fez um golaço para diminuir. Pena que não foi o bastante.
Mas, como comecei, repito: a Argentina tem tudo ao seu favor, inclusive os renomados comentaristas esportivos e locutores da Globo e Sport Tv, endeusando a seleção de Maradona, que vem ganhando suas partidas mais pelas ajudinhas dos árbitros e erros dos adversários - este último até que se reconhece, futebol também se ganha aproveitando os erros alheios. E enquanto essas "sumidades" endeusam a Argentina, o Jornal OLÉ, principal periódico esportivo deles, fica criticando a proteção que Júlio César usou nas costas por causa de sua contusão e ironizando a ajuda de mão que Luís Fabiano teve no gol contra Costa do Marfim. Parece que esqueceram o gol de Maradona contra a Inglaterra em 1986, uma autêntica cortada de vôlei. Pelo menos o gol do nosso camisa 9 foi mil vezes mais bonito.
Os comentaristas da Globo e Sport TV colocam os argentinos num pedestal por quê? Para que os argentinos que moram no Brasil lhes dê audiência? Vamos deixar de hipocrisia, gente! Duvido que o Messi, que eles têm mania de endeusar também, está jogando muito mais do que Kaká e Robinho! Sem contar os eficientíssimos Júlio César, Lúcio e Elano.
A Seleção Argentina não é nenhuma equipe que joga por música, como se fizesse Gardel sair da tumba e dançar um tango. Enfrentarão a Alemanha, que joga um futebol bem burocrático, eficiente e obediente como um antigo soldado nazista, mas nada de encher os olhos. Qualquer um desses dois que ganhar enfrentará o Brasil só na finalíssima, pois o Brasil vai passar pelo Chile e irá para as quartas-de-final. Aí é que eu quero ver!
AMANHÃ, TODA FORÇA POSITIVA PARA
MAIS UMA VITÓRIA NOSSA!
PRA FRENTE, BRASIL!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

BRASIL 4 X 2 CHILE - COPA DE 1962 - RECORDAR É SE DELICIAR!

"Aquela Copa foi a Copa do Garrincha" resumia Zagallo, que também fez parte da Seleção de 1962 como jogador. Vínhamos do grande triunfo de 1958 na Suécia e o Brasil manteve a base campeã. O grande problema foi que o Rei Pelé sofreu uma grave distensão no músculo adutor da virilha, logo no segundo jogo, no empate sem gols contra a Tchecoslováquia, findando assim sua participação no Mundial do Chile. Sem poder se recuperar a tempo, Amarildo entrou em seu lugar contra a Espanha e jogou muito bem, fazendo os dois gols da vitória canarinho. Com Pelé fora de combate, Mané Garrincha chamou a responsabilidade para si e fez uma das suas melhores atuações na carreira contra a Inglaterra. Brasil 3 a 1.
O Chile era nosso próximo adversário e estava todo cheio de si. Sua violenta seleção jogava a Copa em seu país, ganhara da Suíça por 3 a 1, da Itália por 2 a 0 e da União Soviética por 2 a 1, e achava que podia derrotar o Brasil também. Só que se deram mal, pois pegaram Garrincha num dia de glória. Ele e Vavá fizeram 2 gols cada um na vitória por 4 a 2 e Garrincha arrasou a defesa chilena como quis. Fez um golaço com a perna esquerda, um raro gol de cabeça, abandonou completamente a ponta e fez como se estivesse jogando uma pelada em sua terra natal, Pau Grande, em Magé.
Como curiosidade, os brasileiros temiam que os chilenos colocassem alguma química no almoço que pudesse lhes fazer mal antes do jogo, e apenas lancharam, como prevenção.
Com a eliminação chilena e os números do placar definidos, no final do jogo, cansado de tanto apanhar, Garrincha dá um tostão de leve na bunda do seu marcador, Eladio Rojas, mais de molecagem do que de revide. Rojas caiu e fez o maior teatro possível, e o bandeirinha dedurou Garrincha ao juiz peruano Arturo Yamasaki, que expulsou de campo o nosso camisa 7, escolhido depois como o melhor jogador desse Mundial. Ao sair, Garrincha ainda levou uma pedrada na cabeça, lançada da arquibancada. Mas vocês pensam que Garrincha foi suspenso e não jogou a final contra a Tchecoslováquia? Que nada! Graças a uma manobra política, sumiço da súmula do jogo e outras malandragens, Garrincha foi absolvido e mesmo com febre jogou a final e o Brasil se sagrou bicampeão mundial.




Súmula do jogo Brasil 4 x 2 Chile
Local: Estádio Nacional (Santiago)
13/junho/1962
Árbitro: Arturo Yamazaki (Peru)
Gols: Garrincha 9 e 32, Toro 41 do 1º ; Vavá 3, Leonel Sánchez (pênalti) 16, Vavá 32 do 2º.
BRASIL: Gilmar; Djalma Santos, Mauro, Zózimo e Nílton Santos; Zito e Didi; Garrincha, Vavá, Amarildo e Zagalo. Técnico: Aimoré Moreira
CHILE: Escutti; Eyzaguirre, Contreras, Raul Sánchez e Rojas; Rodrigues e Tobar; Ramírez, Toro, Landa e Leonel Sánchez. Técnico: Fernando Riera

BRASIL 4 X 2 CHILE - COPA DE 1962 - RECORDAR É SE DELICIAR






BRASIL 4 X 1 CHILE - COPA DE 1998 - RECORDAR É VIVER

Na classificação para as quartas de final da maldita Copa da França, em 1998, Brasil e Chile se enfrentaram pela segunda vez em Mundiais, fazendo o clássico sul-americano. Goleamos e jogamos muito bem. Nosso atual técnico Dunga, então capitão da equipe, cobrou uma falta do lado esquerdo e o volante César Sampaio fez de cabeça o primeiro gol, aos 11 minutos do 1º tempo. No segundo gol, Roberto Carlos bateu uma falta, a bola resvalou na barreira andina, sobrou para Bebeto que passou para César Sampaio, e este aproveitou o rebote e fez o segundo gol. O terceiro gol foi de pênalti, sofrido por Ronaldo no final do primeiro tempo, batido pelo próprio e assim fomos para o intervalo ganhando de 3 a 0 do Chile.
No segundo tempo Ronaldo ainda mandou uma bomba na trave chilena.
O Chile diminuiu com Marcelo Salas de cabeça.
Ronaldo fez seu segundo gol na partida e o quarto do Brasil após uma trama entre César Sampaio e Rivaldo.
Com o placar já sacramentado, Ronaldo, que junto com toda a equipe fez uma excelente partida, ainda chutou outra bola na trave.
Depois ainda passamos pelo ótimo time holandês, conseguindo a classificação para as semifinais na disputa de pênaltis. Então fomos disputar a finalíssima com a França de Zidane, e..... bem, acho melhor concluir por aqui.

Súmula do jogo Brasil 4 x 1 Chile
Local: Parc des Princes (Paris)
27 de junho de 1998
Árbitro: Marc Batta (França)
Gols: 1º tempo: César Sampaio, César Sampaio e Ronaldo (Brasil); 2º Tempo: Marcelo Salas (Chile) e Ronaldo (Brasil).

BRASIL: Taffarel, Cafu, Júnior Baiano, Aldair (Gonçalves) e Roberto Carlos ; Dunga, César Sampaio, Leonardo e Rivaldo; Bebeto (Denílson) e Ronaldo.
Técnico: Zagallo
CHILE: Tapia, Reyes, Vargas, Fuentes e Cornejo; Vega (Ramirez), Mussri (Acuña), Fabian Estay (Sierra) e Aros; Salas e Zamorano.
Técnico: Nelson Acosta
No próximo post, Mané Garrincha arrasa o Chile.
ATÉ....

BRASIL 0 X 0 PORTUGAL: PREVISÍVEL


Bem que eu havia perguntado para um portuga, dono de um bar que frequento de vez em quando, se ele estaria dividido hoje. Ele respondeu o mais em cima do muro possível que qualquer resultado estava bom. Afinal de contas o ganha-pão do lusitano é aqui.
Foi uma das partidas mais previsíveis do Brasil em todas as Copas. Os dois fortes países da mesma chave classificados para as oitavas, com uma certa tendência para uma possível vitória magra do Brasil, que teve mais posse de bola e atacou mais, e até que bateu na trave um chute do Nilmar, o eficiente atacante. Podia ter sido 1 x 0 para nós, mas o 0 x 0 não foi tão injusto assim.
A surpresa foi a ausência do Robinho, que ninguém soube explicar se foi poupado ou estava se recuperando de alguma contusão. Sem Kaká perdemos demais nosso poderio de ataque e criatividade, sem o Robinho também fica ainda mais difícil, e jogando contra uma boa seleção, que é a de Portugal. Ainda bem que o Cristiano Ronaldo não estava nos seus melhores dias, embora tenha dado umas 3 ou 4 situações reais de perigo ao nosso gol.
Quanto aos que entraram, eu já estava vacinado contra o Júlio Baptista e seu futebol burocrático, mas ele ainda foi pior do que eu previ, pois mal tocou na Jabulani. O Ramires, que não é muito criativo mas é rápido e objetivo, entrou em seu lugar e quase fez um gol, mas teve poucos minutos. Já que não dava para convocar o Paulo Henrique Ganso, o Ronaldinho Gaúcho não merecia nem ser o reserva imediato do Kaká? Você acha que devemos andar com um estepe qualquer no carro?
Admiro muito a dedicação do Lúcio. Sem um reserva de qualidade para o Kaká, que desse mais criatividade ao meio de campo, Lúcio foi à frente tentar. E não dava mole na defesa. Foi o melhor em campo para mim, apesar da FIFA ter escolhido Cristiano Ronaldo - que critério é esse?
No geral, valeu a performance da nossa seleção na primeira fase. Mas agora é que a Copa começará para nós, e sempre é assim nas oitavas. A chapa começa a esquentar na segunda-feira contra o Chile, um velho conhecido de Copas América e com dois confrontos em Mundiais.
Já jogamos contra Portugal, que também enfrentamos numa Copa anterior, e agora o Chile, que enfrentamos em 1962 e 1998. No próximo post recordarei os dois confrontos.

ATÉ LÁ!

A ÁFRICA JÁ TEM TANTA ZEBRA... PRA QUE MAIS?



Tinha que ser na África mesmo, uma Copa com tanta "zebra". Mas será que essas zebras são realmente o contrário do que deveria ser?
Comecemos pela França, vice-campeã da última Copa e que teve literalmente aquela "mãozinha" do Henry nas eliminatórias para se classificar. Seu melhor jogo, ou o menos pior, foi o empate sem gols com os ascendentes uruguaios (nossa, esse jogo me deu um sono!). Não contavam mais com o Professor Zidane e pra entornar todo o caldo francês ainda estourou uma crise na seleção a ponto de virar caso de Estado com intervenção da Ministra da Saúde e Esporte Roselyne Barchelot (eu, hein...), e perderam até o patrocínio de um banco. Tudo começou quando Nicolas Anelka foi substituído por ter ofendido o treinador Raymond Domenech. Perderam para o México e para a África do Sul. Zebra? De acordo com as circunstâncias, não.
E a Itália, atual campeã, detentora de quatro títulos mundiais, que nem teve a chance de ir para as oitavas? O técnico Marcello Lippi assumiu a culpa após a derrota para a Eslováquia, uma das metades da extinta "Tchecoslováquia", que marcou sua presença em alguns mundiais. Dois empates e uma derrota para a seleção mais fraca teoricamente de sua chave. Só terminou em quarto lugar, pois não tinha colocação mais baixa que essa.
A tricampeã Alemanha, que das 18 Copas realizadas só não participou de apenas duas: 1930 e 1950, perdeu seu craque Ballack às vésperas, começou muito bem goleando a Austrália mas também deu sua escorregada na Copa perdendo para a Sérvia por 1 a 0. Quase que não vai para as oitavas.
A Inglaterra, sem sua estrela David Beckham, quase que repete a zebra de 1950 quando perdeu para os Estados Unidos naquela Copa por 1 a 0, só que agora empatou com os americanos, mas perdeu para a Eslovênia (divisão da Yugoslávia) e por pouco também não dança.
Vimos também uma brava Suíça vencer a tão badalada Espanha. Ora, os melhores jogadores do campeonato espanhol não são da terra!
Temos em todos os clubes europeus principalmente jogadores brasileiros e argentinos que fazem a verdadeira diferença nesses campeonatos, sem contar os naturalizados - só em Portugal temos 3 luso-brasileiros, e na Alemanha um! A Internazionale de Milão tem 3 brasileiros titulares da seleção e da nossa defesa: o goleiro Júlio César e os zagueiros Maicon e Lúcio, todos os melhores do mundo em suas posições. O Roma tem Júlo Baptista, Juan e Doni. Os argentinos têm seus craques espalhados por toda a Europa, assim como os uguguaios, os chilenos e os paraguaios. Verdadeira Torre de Babel nessa globalização no esporte.
Estou terminando essa crônica agora, pois faltam poucos minutos para um jogo no qual devemos dar um coice na zebra.
Agora é esquecer os outros países e TORCER PARA O NOSSO BRASIL!!!!!
ATÉ A PRÓXIMA!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

BRASIL X PORTUGAL - PELA SEGUNDA VEZ EM MUNDIAIS

Quem tem mais de 50 anos, ou quem acompanha a memória do nosso futebol deve saber que o Brasil e Portugal se enfrentaram em Copas pela primeira e única vez em 1966, na Inglaterra. Essa Copa deveria passar para nós em brancas nuvens, pois fomos eliminados antes das oitavas de final. Vínhamos de um bicampeonato, mas o time não era mais o mesmo: Garrincha, Djalma Santos, Zito, Orlando e Bellini estavam em final de carreira, Nílton Santos, Didi e Zagalo penduraram as chuteiras e Amarildo fora cortado por contusão.

Futuros tricampeões como Brito, Gérson, Jairzinho, Tostão, Edu e, claro, Pelé, estavam entre os 22 convocados. Deixaram uma então jovem promessa no Brasil, aquele que quatro anos mais tarde levantaria a Jules Rimet como capitão da equipe: Carlos Alberto Torres.
Garrincha (16) caminha para fazer, de falta, seu último gol pela Seleção.

O Brasil precisava ganhar, pois vinha de uma vitória contra a Bulgária (2 a 0) com gols de Pelé e Garrincha - vale lembrar que foi a última partida oficial em que os nossos dois gênios do futebol participaram juntos - e uma derrota para a Hungria (1 a 3) descontando o jovem Tostão, de 19 anos. No entanto a caravela portuguesa, capitaneada pelo técnico brasileiro Oto Glória, fez nossa seleção naufragar, pois contava com craques como Simões, Coluna e Eusébio, que foi o artilheiro daquela Copa com 9 gols, e visto como o "Pelé português". Quanto ao verdadeiro Rei, este entrou em campo contundido, e ainda foi caçado pelos açougueiros lusos.
Naquele 19 de julho, em Liverpool, nem numa viagem de ácido inglês imaginaria-se a classificação do Brasil. Só a CBD não contava com a evolução do futebol europeu, principalmente Portugal, Inglaterra e Alemanha, e achava que o tricampeonato estava certo como o sucesso dos Beatles na época. A Comissão Técnica estava desorganizada, ninguém sabia quem seria titular, e depois da derrota para a Hungria mais da metade da equipe foi substituída. O clima era péssimo. Foi uma das piores participações do Brasil em Mundiais. Mas foi exatamente uma queda brusca no gráfico entre 1962 e 1970, a verdadeira tempestade que veio antes da bonança de 1970.

Súmula do jogo Brasil 1 x 3 Portugal
Local: Goodison Park (Liverpool)
Árbitro: McCabe (Inglaterra)
Gols: 1º tempo: Eusébio e Simões (Portugal); 2º Tempo: Eusébio (Portugal) e Rildo (Brasil).
BRASIL: Manga; Fidélis, Brito, Orlando e Rildo; Denílson e Lima; Jairzinho, Silva, Pelé e Paraná. Técnico: Vicente Feola
PORTUGAL: José Pereira; Morais, Batista, Vicente e Hilário; Jaime Graça e Coluna; José Augusto, Eusébio, Torres e Simões. Técnico: Oto Glória

Colocação do Brasil na Copa de 1966 - 11º lugar

Bem... 44 anos se passaram... Não temos mais Pelé, Garrincha nem Eusébio, nem mesmo o estádio de Wembley, onde se deu a final dessa Copa entre Inglaterra e Alemanha, com vitória dos súditos da Rainha Elizabeth II.
Daqui a algumas horas vamos torcer para que Brasil e Portugal seja completamente diferente de 1966, não é?
ATÉ A PRÓXIMA!!!

terça-feira, 22 de junho de 2010

O TÉCNICO MAIS BOCA-SUJA DO MUNDIAL 2010


Lembro que meu pai ralhava pra mim com o forte sotaque húngaro: "Vá lavarr o boca" quando eu era moleque e dizia algum palavrão. Dá vontade de falar isso pro Dunga, não? Pois ele, para mim, tem uma história de sucesso na seleção. Em 1990 quiseram massacrá-lo colocando-lhe como símbolo da nossa então era no futebol, a do futebol sem técnica, a "Era Dunga". Depois lhe deram crédito, moral e fizeram muito bem: Dunga acabou sendo o quarto capitão brasileiro a levantar a Taça de um Mundial.
Bom jogador, bom nos passes e lançamentos, um líder nato, sem ele teria sido mais difícil conquistar o Tetra. Dunga evoluiu muito depois da fracassada Copa da Itália, em 1990. Conquistou respeito no mundo inteiro, virou ídolo. Jogou na Europa e no Japão, virou até referência.
Como técnico vem fazendo um bom trabalho. Só que precisa ser orientado quanto aos seus limites em relação ao linguajar. A ficha tem que cair para Dunga, pois ele não está mais dentro das quatro linhas dando esporro no Bebeto quando este pipocava. O baianinho quase ia às lágrimas quando era repreendido pelo valente capitão. Depois do jogo, no vestiário, banhos tomados e cabeças refrescadas, tudo ficava restrito às quatro linhas, como se deve esperar das pessoas civilizadas.
Só que Dunga não está sendo civilizado com os jornalistas e àqueles que assistem as coletivas da imprensa. Todos nós sabemos que existe tal palavrão e alguns de nós até falamos em determinados momentos, não é? Mesmo que seja em "voz alta". Só que milhões assistem nosso técnico cuspir os males que saem de sua boca, então pergunto: "cadê o respeito?" "Cadê a liberdade de imprensa?"
Nem mesmo o enérgico Felipão e o mal-humorado Muricy Ramalho já agiram dessa forma.
Será que ninguém deu um puxão de orelhas no nosso técnico?
Será que quando lhe deram na infância o apelido de "Dunga", na verdade não trocaram de nome de anão? Sim, pois esse Dunga está mais para "Zangado".
Espera-se que Dunga mude de atitude, não precisando exatamente ser um "Dengoso" como o anão Diego Maradona, mas que faça jus a um outro nome de anão, mais adequado para o cargo que exerce: "Mestre".

domingo, 20 de junho de 2010

HUMOR - CHARGE DA COPA 2010

O técnico mais amável e carinhoso do Mundial da África.

BRASIL VENCE COSTA DO MARFIM E ESTÁ NAS OITAVAS DE FINAL!

Quem viu Brasil x Costa do Marfim presenciou um jogo à altura do país pentacampeão mundial de futebol. Nos primeiros minutos nossa seleção foi só cozinhando o galo. Irritava um pouco à torcida, mas a tática deu certo.
Parabéns pela jogada técnica e de raça do Kaká, que sobe de produção. Se livrou da marcação e passou para o nosso camisa nove abrir o placar e fazer o primeiro dos seus dois gols, num belo chute de ângulo difícil.
Agora, será que os argentinos terão moral pra falar da ajeitadinha que o Luís Fabiano (graças a Deus desencantou!) deu com a mão? Ah, mas o segundo gol foi tão bonito que o juiz nem deve ter tido coragem pra anular! Fabiano abriu uma chapelaria no lance.
Logo depois do terceiro gol do Brasil, com Elano muito bem colocado no lance - jogada de quem? Kaká! - os marfinenses, vendo que a tampa do caixão começava a baixar, apelaram para a violência. Kaká, que estava fazendo uma boa partida e não é mais nenhum garotinho, pelo contrário, é um jogador experiente, campeão do mundo e muito respeitado, cai na pilha e é expulso. Isso mesmo que você leu: KAKÁ FOI EXPULSO! Se você não viu o jogo, confirme aqui na grande rede. Acredite, pois reconheço que Kaká ser expulso de uma partida parece ser tão absurdo quanto São Jorge cair do cavalo. Tá certo que ele é disciplinado, mas não tem sangue de barata. Alguns disseram que o Dunga deveria ter sentido o cheiro ruim da situação e substituído o meia-atacante, mas ele tem que estar preparado para esse tipo de situação. Ou, você acha que se fosse com Romário, por exemplo, ele teria caído na pilha marfinense?


Concluindo: você pode dizer que a Costa do Marfim tem uma equipe fraca, sem tradição no futebol e que o Brasil tinha obrigação de vencer, e com goleada. Acontece que todo país que joga contra o Brasil, mesmo que esteja na Copa como coadjuvante, dá a impressão que cresce. Assim como Flamengo x Vasco, Palmeiras x Corinthians, Atlético-Mg x Cruzeiro... o time que estiver teoricamente inferiorizado e numa fase pior que a do adversário, na maioria das vezes fará tudo em campo para provar que pode superar. Assim será sempre contra o Brasil, mesmo que jogue contra a Guiana ou Ilhas Maurício. Jamais será fácil, ainda mais em Copa do Mundo.
O jogo mais esperado é no final dessa semana que entra. Certamente o duelo Kaká x Cristiano Ronaldo será adiado, para quando, ninguém sabe. Mas agora é hora de colocar alguns reservas para entrar no clima da Copa, adquirir ritmo de jogo e selar de vez o passaporte para as oitavas de final.
E é aí que a chapa começará a esquentar, pois será quando realmente começa a Copa.
Boa semana!

sábado, 19 de junho de 2010

YES - AND YOU AND I

Viaje no vídeo e no som de um dos grupos mais proeminentes do rock progressivo dos anos 70: YES.
Música do álbum CLOSE TO THE EDGE de 1972, com a melhor formação do grupo.

video

FOTO FANTÁSTICA

Só para quebrar um pouco do assunto COPA DO MUNDO e dividir com vocês um desenho fantástico que encontrei na Internet.

Serve como papel de parede.
BRAÇÃO!


quinta-feira, 17 de junho de 2010

A Arena da Fifa Fan Fest EM COPACABANA!

Hoje escolhi um jogo morno para conhecer a Arena da Fifa Fan Fest, que fica localizada nas areias da Praia de Copacabana, nas imediações do famoso e tradicional Copacabana Palace. Bem perto de onde os Rolling Stones fizeram aquele show para mais de dois milhões de pessoas em 2006, lembra?
O jogo era da França contra o México. Já previ que nos jogos do Brasil não dará nem pra botar o pé lá dentro, a não ser que se montasse um acampamento horas antes, o que me foi confirmado por um segurança que trabalha lá. Se na terça-feira foi assim, imagine domingo, contra Costa do Marfim? Ah, se for assim, melhor mesmo é ficar em casa, comendo e bebendo algo, sentado confortavelmente e sem chatos pra me encher os ouvidos com as "vuvuzelas" (que nome horroroso).






A presença dos mexicanos era grande e divertida. Até zoaram um francês com a camisa de sua seleção, mas ele levou na esportiva.
Aliás, acho que nem em época de carnaval vi tanto gringo assim na cidade!
Conversei até com um norueguês, que fez juras de amor ao Brasil.






A entrada é gratuita, num espaço de 31 mil m² e capacidade para 20 mil pessoas (quase 1/4 do Maracanã), e o telão de 120 m² em alta definição é o principal atrativo, claro. A Arena tem capacidade para mais pessoas que no Caio Martins de Niterói (cerca de 16 mil pessoas). Saiba que a atual capacidade do Maracanã é de pouco mais de 82 mil pessoas. Mesmo assim, se você pretende ver o Jogo Brasil x Costa do Marfim nesse telão aí, tente chegar o mais cedo possível.




No intervalo dos jogos, o telão mostra cenas e gols dos Mundiais passados.
Não se preocupe se a fome ou a sede baterem... o problema é que sua pressão pode subir um pouco, pelos preços salgados demais, e sal faz mal, né?

Mas tem outras atrações como uma loja, um stand da Sony além dos shows que vão rolar, de Marcelo D2, Dudu Nobre, Monobloco, Cidade Negra, Revelação, as baterias das escolas de samba Mangueira, Beija-Flor e Unidos da Tijuca.

A fita de cor duvidosa é colocada em seu pulso na entrada da Arena, mas não lembro mais pra que ela servia, rssssss!!!

É um programa divertido e barato, vale conferir!

ARGENTINA CLASSIFICADA PARA AS OITAVAS!

Não é surpresa, nem teria como ser... para uma das potências em futebol, com dois títulos mundiais, não fez mais que a obrigação. Com um grupo com as "poderosas esquadras" grega, nigeriana e sul-coreana, até o Tabajara Futebol Clube do Casseta e Planeta se classificaria para as oitavas de final na segunda fase.
Mas, como era de se prever também, as seleções já começaram a se soltar mais na segunda fase, e assim foi com outro representante da América do Sul, o Uruguai, que ontem sapecou 3 a 0 nos bafanas. Los hermanos mostraram mais movimentação no meio de campo e ataque, tanto que quem se destacou foi o belo Carlito Tévez, ex-meia-atacante do Timão, que junto com De María e Gonzalo Higuaín, os atacantes, construiu a vitória portenha. Uma ajudinha do grande Messi, que jogou bem, mas demonstrou mais personalidade contra os nigerianos.
A abertura do placar se deu com um gol contra dos sul-coreanos, quando escorou com a canela um córner batido da esquerda. E o gol bobo que os argentinos tomaram foi pela fragilidade da defesa. Se continuar assim, o ataque terá que trabalhar bastante. Ajeitando sua defesa, Dieguito terá um time mais competidor. Os sul-coreanos até esboçaram uma reação, mas essas seleções não pretendem o título, e passando para as oitavas já é uma grande vitória. Servem para atrapalhar as seleções favoritas e tornar você um milionário nos jogos de apostas. De zebra, a África já está cheia.
O beijoqueiro Diego Maradona é muito carinhoso com seus pupilos. Aliás, nunca vi técnico tão amável. Mas não deve conseguir, ou mesmo ter competência para traçar um plano tático. Está no comando técnico da seleção argentina mais pela sua história no futebol, isso é óbvio. Em vez de perder tempo criticando a Seleção Brasileira, Maradona deveria comprar uns livros e DVDs com aquele título tradicional "Como ser técnico de futebol - Nível Básico".
Será que a FIFA dará este ano um prêmio para "o técnico mais carinhoso do Mundial"? Se der, Don Diego nem terá concorrentes.

HUMOR NO FUTEBOL

Piadas verídicas de boleiros!
Pra quebrar um pouco do gelo... rsssssss!!



Quando Garrincha trabalhava no Instituto Brasileiro do Café, na Itália, um italiano lhe perguntou se o café do Brasil era bom mesmo. Mané respondeu: "Não sei, nunca tomo. Sei que o fino do Brasil é a cachaça."


Copa de 1966, Inglaterra. Mané Garrincha e o goleiro Manga dão um passeio em Londres, param num bar e Mané esnoba ao fazer o pedido: "Coofee and milk, please." O goleiro Manga se aborrece: "Ô Mané, entrei aqui pra tomar uma média. Esses pedidos caros aí serão por sua conta, viu?"


Ao preencher uma ficha para o clube que o contratou, o lateral Marinho Chagas esbarrou no item sexo. Decidido a demonstrar a nova faceta de responsável, escreveu: "Faço sim. Mas moderadamente e nunca na véspera dos jogos."


O jogador do Flamengo foi se consultar com um fisioterapeuta especializado em joelho. No prédio comercial, errou de sala e entrou na sala de um advogado. Ao ser atendido, explicou:

- Doutor, estou com uma dor terrível no meu joelho esquerdo.

Surpreso, o advogado responde: - Desculpe, mas só trato de Direito.

E o jogador se assusta:- Puxa, doutor! Vai ser especializado assim no raio que o parta!

terça-feira, 15 de junho de 2010

BRASIL ESTRÉIA COM GOLEADA NA CORÉIA!

É claro que vocês gostariam que eu começasse meu blog com essa frase... eu também gostaria! E poderia ter sido assim! Mas nosso "fabuloso" número 9 anda de mal com as redes. Como ele arrebentou no coletivo da véspera, Dunga o manteve no comando do ataque, mas quando o Nilmar entrou no segundo tempo, com poucos minutos para mostrar serviço, conseguiu chutar em gol com êxito por duas vezes, e Fabiano, que ficou os 90 minutos em campo, nem isso. Para os próximos confrontos precisaremos de um comandante de ataque mais eficaz, por isso torço para que Nilmar entre logo de cara.


Acho que no segundo tempo o Dunga deve ter dado um sacode na galera, pois, com exceção do Robinho e do Elano, deu a impressão de que os demais tomaram tranquilizantes acima da dose. Até nossa esperança, Kaká, esteve mal. No segundo tempo o Maicon fez aquele golaço sem ângulo porque acordou também e fez mais jogadas de linha de fundo. O Kaká se apresentou mais, e fiquei surpreso com a atuação do Michel Bastos, eliminando de vez nossas dúvidas quanto à lateral-esquerda.


E, claro, Daniel Alves entrou, o que deveria ter acontecido desde o início, pois Gilberto Silva... às vezes desconfio que empresários molhem as mãos de certos cidadãos para manter um cabeça-de-bagre como titular, e logo da Seleção? Não vejo outra justificativa para a titularidade de Gilberto Silva. Até o brucutu Felipe Melo jogou melhor que ele.



E tirar Elano por quê??? Um dos melhores em campo, inclusive com participação nos dois gols - um dele e um passe dele pro Maicon. Acho que Dunga deve rever essas substituições dele. Sou meio contra o óbvio, mas nem Elano esperava ser substituído. Alerto para aproveitar jogos contra equipes fracas para engordar o saldo de gols, pois a Coréia do Sul só teria pretensões ao título mundial se estivesse disputando um torneio de tae-kwen-do.


Mas, como nem tudo é perfeito, levando-se em conta uma estréia, preocupação em não errar, tensão normal do primeiro jogo, desentrosamento, recuperação em andamento de alguns jogadores, valeu o 2 a 1.

Sobre Portugal, nosso terceiro adversário, não dá pra falar muita coisa. Não é nenhum bicho-papão. O galã Cristiano Ronaldo tecnicamente esteve bem abaixo das expectativas, e acho inadimissível o capitão de uma equipe (ele) levar um cartão amarelo por motivo fútil. Isso causa uma certa desestabilidade emocional no time.Mas sinto que a Costa do Marfim dará um certo trabalho. A Seleção Brasileira precisará de jogadores mais rápidos e objetivos.E DA NOSSA TORCIDA TAMBÉM! ATÉ.....

segunda-feira, 14 de junho de 2010

HOLANDA E ITÁLIA ESTREIAM

A atual campeã Itália finalmente estreou, logo contra um time de tradições aguerridas como os paraguaios. E a Holanda também, vencendo a Dinamarca. Só que a Dinamarca de hoje está longe daquela "Dinamáquina" na primeira fase da Copa de 1986, e a Holanda, apesar de ser considerada um dos favoritos, jamais repetirá o feito de 1974.
Vamos pela ordem?
Holanda venceu a Dinamarca pelo placar de 2 a 0, sendo que um dos gols foi um presente dado por um dinamarquês, de grego, e para seu próprio país - gol contra! E o outro, meio chorado, a bola bate na trave e quase não entra. Isso mostra que o fator sorte também influencia na conquista de um Mundial. Mas não tira os méritos da Holanda. Tem jogadores habilidosos, é uma equipe renovada, uma dura marcação, uma de suas principais características, e tem o respeito de todos como seleção forte tradicional desde a época do Carrossel de 1974.



BELEZAS FUNDAMENTAIS....!

Mas, como falei, as estréias são aquecimento para a Copa, que começa realmente nas oitavas de final.Jogo de futebol burocrático, nada bonito. Beleza mesmo tinha na torcida, das fascinantes dinamarquesas e holandesas que compensou a pelada de luxo. Todas lindas, magníficas.... se fosse um duelo de belezas femininas, teria dado empate!

Nossa querida Itália sentiu que o duelo contra os sul-americanos não é fácil não. O Paraguai esteve à frente no placar por um bom tempo, e foi difícil os italianos empatarem, e o fizeram graças ao De Rossi. Sem tirar o mérito do gol volante, o goleiro paraguaio falhou na saída. Mas jogar futebol também é saber aproveitar os erros do adversário, e eles devem passar fácil pela Eslováquia e Nova Zelândia. Ainda mais que o Pirlo deve jogar.


O Paraguai não é mais aquele dos tempos de Gamarra, Arce, Chilavert... o Paraguai jamais disputou Copa do Mundo com intenção de campeonato, sejamos francos. Mas a tendência, na teoria, é que se classifique para as oitavas junto com a Itália, em seu grupo. Queria muito ter visto o gordinho Cabañas jogar, aquele que é o carrasco dos times brasileiros na Libertadores jogando pelo América do México. Infelizmente não pode vir à África, mas graças a Deus está se recuperando daquele tiro que poderia ter sido fatal.

Agora... amanhã todos juntos vamos!!!
PRA FRENTE BRASIL!

domingo, 13 de junho de 2010

A ARGENTINA ESTRÉIA!

Como muitos sul-americanos, nesse sábado eu esperava ver um grande jogo da Argentina. Como o badalado Lionel Messi jogaria uma Copa do Mundo? Ele jogou bem, mas como todo ser humano sentiu o peso da estréia e não mostrou todo repertório fabuloso de jogadas que habitualmente realiza quando veste a camisa do Barcelona, apesar de Maradona ter lhe dado liberdade incondicional em campo.

Ao contrário da maioria dos meus compatriotas, sou fã dos argentinos pela sua garra, sede de vencer, jogo altamente técnico, mas duro e catimbado que acaba se tornando violento devido às circunstâncias de uma partida, principalmente contra nós. Los hermanos vendem caro a derrota, e acho isso admirável. Só que hoje em dia eles mudaram em campo, mesmo com Diego Maradona no comando técnico, pois tenho quase a certeza de que, quando "El Pibe" estava dentro das quatro linhas era ele quem instigava os companheiros a bater no adversário. Hoje eles é que sofrem, e quando batem é em revide.

Mas a Nigéria evoluiu no futebol, assim como todo país africano e também asiático. Possui atletas fortes, rápidos e que também têm uma característica parecida com a dos argentinos: vendem caro uma derrota.

A Argentina mostra fragilidade no esquema defensivo. Sentem a falta de um Passarela (dentro de campo). Me deu a impressão de que eles não têm lateral-direito!!!

Nossos hermanos venceram, mas não convenceram, embora estejam no páreo, e assim como Brasil, Itália e Alemanha, a Argentina sempre será um dos favoritos para vencer o Mundial. Mas se Don Diego não ajustar a sua defensiva, precisará de "la mano" do verdadeiro Deus se quiser vencer a Copa de 2010.

COPA 2010 - A PRIMEIRA RODADA

Os primeiros jogos da Copa 2010 eram esperados por mim com uma certa ansiedade... só que me esqueci que hoje em dia os primeiros jogos de um Mundial são como se fossem "aquecimento" para a competição. Se uma seleção perde, ou empata, tem chances de se recuperar nos dois próximos confrontos. Sim, pois qualquer seleção do Mundial disputa no mínimo três jogos. É o bastante para um empresário observar aquele único talento daquela seleção africana (ou asiática), e transformar o atleta numa mina de ouro.
No geral, só a Alemanha aproveitou a fragilidade dos australianos para ganhar, e bem, e anotar um bom saldo de gols. A Argentina ganhou da Nigéria com um magro 1 a 0, mas da Argentina ainda falarei depois. Os ditos "inventores do futebol", os ingleses, anteciparam o Dia de Ação de Graças dos Norteamericanos, oferecendo-lhes um chester de primeira, com direito a todos os temperos. E o jogo da França contra o Uruguai na sexta-feira chegou a me dar sono, acreditem. Eu que esperava um grande duelo, cheguei a sonhar que estavam em campo Zidane de um lado e Obdulio Varela de outro... só em sonho mesmo.
Aguardem, pois a primeira rodada ainda não terminou. Estão faltando mais dois países, que juntos detém 9 títulos mundiais: nossos queridos e fregueses de todas as Copas, os italianos e.... quem é que vai estrear na terça-feira mesmo???

Grande abraço!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

COPA 2010 - Que vença o melhor



Apesar da minha desilusão completa com o mundo do futebol, já houve tempo em que eu ficava naquela expectativa de Copa do Mundo.Desilusão com o que temos visto pela última década. Política se metendo demais no esporte, empresários e empresas mandando e desmandando na CBF, FIFA e outras entidades, repórteres e comentaristas falando e escrevendo absurdos... isso tudo a criança mais inocente já percebeu. Ainda bem que eu, quarentão, peguei uma partezinha da época de ouro e prata do futebol e ainda cheguei a ver grandes craques como Zico, Rivelino, Falcão, Júnior, Leandro, Beckenbauer, Rumenigge, Maradona, Cruyff, Michel Platini, Roberto Bettega, os campeões argentinos e o que sobrou da Laranja Mecânica na Copa de 78, o timaço do Flamengo de 1981, enfim, não é à toa que sou um saudosista do futebol. Naquele tempo era apenas craques, uma bola e um campo, com juízes e torcida.Confesso que a última Copa que deu prazer de ver foi a de 1994, jogos emocionantes, com Romário e Bebeto infernais, quando tivemos a certeza de que o Brasil foi Tetracampeão graças ao talento de nossos craques. Nem mesmo o recente Penta me empolgou. Hoje fica parecendo que determinado país é carta marcada pela FIFA para ser campeão em troca de alguma coisa. Barganhas estúpidas que estragam o mais fantástico dos esportes.Essa semana eu estava vendo os filmes oficiais da FIFA das Copas passadas. Vi aquele sensacional time tricampeão do Brasil, com aquele ataque fenomenal, com Tostão, Jairzinho, Rivelino, Gérson e o Rei Pelé. Vi o meu preferido, que é a Holanda de 1974, do qual até fiz um site na Internet. Senti saudades de algo que não vivi! É possível isso?No início desse ano, não só o Brasil, mas o mundo acompanhou o resgate do verdadeiro futebol brasileiro dos anos 50/60/70 nos pés e nas diabruras dos Meninos da Vila. Falo do Santos Futebol Clube, aquela turma do Paulo Henrique Ganso, Neymar, André, que junto com Robinho resgataram nosso futebol saudoso, irreverente, moleque, bem brasileiro mesmo. E que tínhamos esperança de ver na Copa de 2010... Teremos que esperar mais quatro anos para vê-los numa Copa do Mundo! Isso se mantiverem a chama. Mas ninguém tem essa certeza.TINHA QUE SER AGORA!Que pelo menos vença o melhor.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

BRASIL 5 X 1 TANZÂNIA 0 Amistoso

Agora sim, foi um bom teste para nós. A Tanzânia foi surpreendente no primeiro tempo! O placar parcial de 2 a 0 para o Brasil não refletia totalmente uma supremacia brasileira, e se me perguntassem qual foi o melhor jogador na primeira etapa, diria que não houve um "melhor jogador" e sim um "mais esperto"... e foi Robinho, que aproveitou os erros da defesa tanzaniana e nos colocou à frente no placar.
Caso nosso paredão Júlio César tenha algum problema, foi bom saber que poderemos contar com o Gomes. Sim, porque o homem trabalhou pesado hoje, acreditem: pelo menos umas cinco defesas difíceis! Os tanzanianos não são mole, correm como se disputassem uma medalha olímpica de atletismo, e o Juan, coitado, voltando de inatividade fez o que pode para tentar contê-los. Poderiam ter feito pelo menos três gols... eta timinho enjoado, dessa seleção...! Como é que a Tanzânia não foi classificada para a Copa, meu Deus?? A Tanzânia, se disputasse o campeonato brasileiro - e, claro, desse uma arrumadinha na sua defesa - certamente se classificaria para a Libertadores da América, pois dificilmente ficaria abaixo da quinta colocação. Lembraram os camaroneses da Copa de 1990, uma revelação. Nem parecia que era o jogo de uma seleção que jamais disputou uma Copa do Mundo contra o país pentacampeão.
Fiquei superfeliz em ver que Robinho continua com fome de gol e o Kaká, que sempre procura jogo, se apresentou bem melhor no segundo tempo fazendo gol de peito. Podia ser até de canela, não importa porque isso ajudou a elevar ainda mais sua auto-estima. Torço para que ele seja o nosso maestro.
Só que nosso "fabuloso" solista Luís Fabiano anda meio desafinado. Ou ele está escondendo seu melhor jogo - espero que dê tempo para encontrá-lo contra a Coréia do Norte, no dia 15 - ou quer passar o solo para o Nilmar, que sempre entra com fome de bola. Lembrem-se que em Copa do Mundo é necessário ter um bom saldo de gols, pois conta como critério de desempate. E o fabuloso que coloque suas barbas de molho, pois não é só o Nilmar, temos o Ramires, que jogou e entrou muito bem, e até o esforçado Grafite querendo um lugarzinho ao sol africano. Fabiano, meio nervosinho, chegou a agredir gratuitamente um tanzaniano, dando-lhe um empurrão que ele quase foi parar nas gerais (se é que lá havia Geral). Aborrecido com o adversário ou com sua própria inoperância, por não conseguir justificar a camisa 9?
E sempre é bom ver o Daniel Alves jogar. Esse sim, é fabuloso! Daniel injeta vitamina de ânimo nos nossos canarinhos. Não é mais para esquentar banco. O Felipe Melo, como sempre exibindo seu peculiar repertório de botinadas, daqui a pouco estará trocando de camisa com ele.
Mais um gol que levamos em cobrança de córner... até hoje o jogador brasileiro não sabe como evitar esse tipo de jogada.. mas valeu pela alegria deles! Foi um gol tanzaniano para entrar para a história!
Agora, Dunga... um acerto aqui, outro ali... trocar umas duas peças e nossos canarinhos não farão feio daqui a uma semana. Estréia é aquela expectativa...!
Até lá!

sexta-feira, 4 de junho de 2010

"Festival de Livros de Futebol que Assola o País"


Aproveitando a época de Copa do Mundo em que o Brasil é sempre favorito, está havendo um "Festival de Livros de Futebol que Assola o País" que mais parecem baseados em enquetes feitas e votadas pelos próprios autores, com títulos sempre como início "Os 10 maiores": "Os 10 maiores volantes", "Os 10 maiores camisas 10", "goleiros" e etc. Pensei até em ir na onda e escrever quais foram, talvez, "Os 10 maiores laterais-direitos" (o primeiro nome que me veio à mente foi de Leandro, do Flamengo), aproveitando não só a época de Copa, em que o país respira futebol e aqueles que não torcem por time algum e torcem pelo Brasil ficam ligados em quase tudo que aparece sobre o esporte bretão, mas também meu humilde conhecimento sobre a memória do futebol.
Mas primeiro que talvez não dê tempo e venha logo alguém com mais recursos que eu, à minha frente pra lançar o livro; segundo, acho uma idéia pouco original - livro, para mim, tem que ser original; e terceiro, acho que escolher os maiores laterais-direitos da história do futebol brasileiro, por exemplo, ou mesmo os maiores laterais-esquerdos, é algo muitíssimo pessoal. É óbvio que no livro que eu pensei, tanto de gente da direita ou da esquerda, figurariam unanimidades como Nílton Santos, Djalma Santos, Leandro, Júnior, Nelinho, Carlos Alberto Torres e outros, mas vai que eu escalo Roberto Carlos! Receberia uma tonelada de cartas e e-mails a ponto de consumir a capacidade total do meu disco rígido, dizendo que "um cara que ajeita os meiões na hora de um lance decisivo (vide Brasil x França em 2006) não merece ser o melhor de nada!" Deus me livre.... se for para gerar esse tipo de polêmica e indignação, prefiro ficar aqui com meu humilde blogzinho.
Diz a sabedoria popular que um homem só tem uma vida completa quando planta uma árvore, escreve um livro e tem um filho. Bem, se me guiasse por isso, minha vida só tem 1/3 então. Não considero minha vida incompleta, mas, como jornalista e se a modéstia me permite, sou uma pessoa que anda muito bem pelo caminho das letras, e é um desejo escrever um livro ainda, não pelo desejo de ter mais 1/3 da minha vida completa, porque não me guio por frases de sabedoria popular, mas pelo prazer de compartilhar com os leitores o que sei e o que é de interesse popular.
Nesses tempos velozes e digitais, segundo a tal "sabedoria popular", talvez só falte ser pai (já bati na trave algumas vezes), pois considero "meu livro" o meu site http://www.interessepopular.com.br/ . E, claro, esse humilde blogzinho que você está visitando no momento.
Só não lembro direito qual foi a semente que plantei.... mas espero que tenha virado uma bela árvore!
Um abraço!

quinta-feira, 3 de junho de 2010

AMISTOSO: BRASIL X ZIMBABWE

Eu fico em dúvida se nesses amistosos pré-Copa torcemos para que os jogadores da seleção (permita-me colocar com "s" minúsculo) não se machuquem ou que façam uma tonelada de gols... sei não... pelo menos se ganha um cascalho - e que cascalho! - para a CBF garantir a premiação da Copa, bichos e etc. Ou você acha que Kaká, Robinho e cia deixariam suas canelas expostas a troco de nada? E nos treinamentos? Os reservas sempre querem mostrar trabalho e com isso se empenham mais do que o necessário nos coletivos, e já aconteceu várias vezes de perdemos bons jogadores às vésperas de uma Copa por motivos como esse: a própria seleção tirou um craque da Copa. Bem, espero que nosso grande paredão Júlio César tenha levado só um susto.

Uma das justificativas da comissão técnica para enfrentarmos adversários teoricamente fracos seria o fato de evitar lesões. No caso de ontem, jogamos com africanos em cujas veias correm o sangue de seus antepassados indígenas, bravos guerreiros que, para pleitear o cargo de chefe da tribo, precisavam mais do que dar um carrinho forte num leão da savana.


video

Ao ver a seleção do Zimbabwe entrar em campo, suas cores me lembraram do extinto Zaire, que enfrentamos em 1974, e curiosamente ganhamos também de 3 a 0. Mesmas cores, mesmo continente de origem e mesma mediocridade de futebol. Mas se eu pudesse voltar 36 anos atrás, como gostaria de poder contar em campo com um dos autores dos 3 gols na ocasião: Rivelino ou Jairzinho....!


No primeiro tempo foi um festival de passes errados que nem o mais obscuro e charlatão dos pais-de-santos teria dado. Nosso principal encarregado de fazer a rede balançar, Luís Fabiano, nem viu a cor da bola. Esse é um dos que, depois desse jogo, nem pode criticá-la tão abertamente como vários de nossos atletas brazucas têm feito com tanta veemência. Culpar a bola? Pelo amor de Deus, que coisa mais absurda!!! Nos tempos de Zico, Sócrates e Falcão você podia colocar no pé deles qualquer objeto que tivesse semelhança com o formato de figura esférica que eles faziam miséria!



Talvez um feiticeiro deva ter sentido orgulho de seu "trabalhinho de vudu tribal" para fazer as pernas de nossos craques(?) errarem tanto assim. Só que nunca deve ter ouvido falar na frase "se macumba ganhasse jogo o Campeonato Baiano terminaria sempre empatado", como dizia nosso filósofo boleiro Neném Prancha. Pelo menos durou alguns minutos, até Michel Bastos, desconhecido por muitos, fazer a bola quase romper a rede do goleiro africano com um míssil à meia distância quando faltavam poucos minutos para o término do primeiro tempo. Robinho, o que menos se poupava, se empolgou e fez o segundo, logo depois. Ele podia ter feito até mais, mas seus companheiros do Santos não vieram na bagagem da seleção e como muitos de nós, sentiu a falta deles.
Kaká: marcado por 3 ou 4 de uma vez

Voltando ao vestiário com dois gols de vantagem, Dunga substituiu quase meio time de jogadores que atuam no exterior, cansados pelas temporadas disputadas, e fez entrar alguns como Daniel Alves, reserva de Maicon, lateral-direito na carteira de trabalho, mas que joga em todas as posições de defesa. E foi o próprio defensor que iniciou a jogada do terceiro e último gol, feito por Elano, já que nossos meias não municiavam nossos atacantes, que por sua vez não quiseram conversa com o gol. Será que Dunga não enxerga uma vaguinha de volante no time principal pro Daniel?
Se formos comparar aos amistosos paralelos jogados pela Alemanha, Argentina, Itália (caramba, acabaram de perder para o México pela primeira vez na vida!), Espanha e cia, até que não fomos mal. Mas a Copa do Mundo de verdade, pelo menos para nós, começará no jogo seguinte ao de Portugal. E até lá, torço para ver Daniel Alves como titular, Kaká totalmente recuperado e Luís Fabiano com fome e sede de gol.
E vamos torcer também para que em vez deles pedirem para a FIFA acertar a confecção da bola, que Dunga peça para eles acertarem mais os pés.