quinta-feira, 29 de março de 2012

MANIFESTAÇÃO AOS ATOS DA DITADURA EM FRENTE AO CLUBE MILITAR - RJ

Militares da reserva assistiram na tarde de hoje o debate "1964 - A Verdade" no prédio do Clube Militar, na Cinelândia, Avenida Rio Branco, no Centro do Rio. Manifestantes contrários à ação da ditadura na época se reuniram em frente ao prédio para protestar.

Cada ex-militar que saía ouvia os gritos de "assassino" e era vaiado pelos manifestantes, que, durante o protesto, entoavam gritos de ordem em repudia ao ato. Também carregavam faixas, bandeiras de partidos políticos de esquerda, cartazes relacionados e fotos de desaparecidos políticos e de vítimas da ditadura militar.
Ao fim do evento os ex-militares tentaram sair, mas o prédio foi cercado por manifestantes que impediram o trânsito pelas duas entradas do imóvel. São militantes do PCdoB, do PT, do PDT, PSOL e de outros movimentos organizados que protestam contra o evento, que marca o aniversário do golpe militar de 1964 e reúne militares contrários à Comissão da Verdade.
Mas antes do fim do evento, decidi ir embora e finalizar a matéria. Senti um cheiro estranho no ar, não exatamente de pimenta - cujo spray realmente foi acionado pela Polícia Militar para conter os mais afoitos -, mas de confusão. E das brabas.
Deu tempo de ver um dos manifestantes preso e algemado.
Em seguida, a Avenida Rio Branco foi fechada pelos manifestantes. Policiais lançaram spray de pimenta e bombas de efeito moral contra o grupo, que revidou com ovos. Houve pancadaria também, mas, prudentemente, me conservei longe do tumulto.
Não sou favorável a protestos assim, gostaria que tivesse sido mais pacífico. De qualquer forma não poderia ter deixado de registrar essa informação.

















Este jornalista, dono do blog, presente à manifestação
















Cartazes e fotos de vítimas
















Tumulto em frente ao Clube Militar















Lembrando o ano em que começou a ditadura
















Cerca de 100 pessoas presentes ao protesto na tarde de 5ª feira














O programa CQC da Band esteve presente na manifestação














Pessoas simulam uma forma de tortura imposta na época: o pau-de-arara

video