terça-feira, 22 de junho de 2010

O TÉCNICO MAIS BOCA-SUJA DO MUNDIAL 2010


Lembro que meu pai ralhava pra mim com o forte sotaque húngaro: "Vá lavarr o boca" quando eu era moleque e dizia algum palavrão. Dá vontade de falar isso pro Dunga, não? Pois ele, para mim, tem uma história de sucesso na seleção. Em 1990 quiseram massacrá-lo colocando-lhe como símbolo da nossa então era no futebol, a do futebol sem técnica, a "Era Dunga". Depois lhe deram crédito, moral e fizeram muito bem: Dunga acabou sendo o quarto capitão brasileiro a levantar a Taça de um Mundial.
Bom jogador, bom nos passes e lançamentos, um líder nato, sem ele teria sido mais difícil conquistar o Tetra. Dunga evoluiu muito depois da fracassada Copa da Itália, em 1990. Conquistou respeito no mundo inteiro, virou ídolo. Jogou na Europa e no Japão, virou até referência.
Como técnico vem fazendo um bom trabalho. Só que precisa ser orientado quanto aos seus limites em relação ao linguajar. A ficha tem que cair para Dunga, pois ele não está mais dentro das quatro linhas dando esporro no Bebeto quando este pipocava. O baianinho quase ia às lágrimas quando era repreendido pelo valente capitão. Depois do jogo, no vestiário, banhos tomados e cabeças refrescadas, tudo ficava restrito às quatro linhas, como se deve esperar das pessoas civilizadas.
Só que Dunga não está sendo civilizado com os jornalistas e àqueles que assistem as coletivas da imprensa. Todos nós sabemos que existe tal palavrão e alguns de nós até falamos em determinados momentos, não é? Mesmo que seja em "voz alta". Só que milhões assistem nosso técnico cuspir os males que saem de sua boca, então pergunto: "cadê o respeito?" "Cadê a liberdade de imprensa?"
Nem mesmo o enérgico Felipão e o mal-humorado Muricy Ramalho já agiram dessa forma.
Será que ninguém deu um puxão de orelhas no nosso técnico?
Será que quando lhe deram na infância o apelido de "Dunga", na verdade não trocaram de nome de anão? Sim, pois esse Dunga está mais para "Zangado".
Espera-se que Dunga mude de atitude, não precisando exatamente ser um "Dengoso" como o anão Diego Maradona, mas que faça jus a um outro nome de anão, mais adequado para o cargo que exerce: "Mestre".

3 comentários:

  1. Adorei....crônica muito criativa. Como nosso Felipão, não existe, ele dava respostas à altura, sem ofensas com palavreados.

    ResponderExcluir
  2. Natália Scapelli23 de junho de 2010 00:01

    Ricardo, meu barão, seu blog está profissional e sensacional!
    Não o deixe de lado, mesmo depois da Copa.
    Menino talentoso!!!
    Beijos! Nat

    ResponderExcluir
  3. Legal o blog Ricardito! Parabéns!

    ResponderExcluir